quinta-feira, 3 de julho de 2014

Inauguração de um salão ao estilo Luís XVI na casa de bonecas da Carminho

 

A minha filha já não brinca com bonecas. Vai fazer treze anos, passa a vida no facebook, agarrada ao telemóvel e já põe lápis nos olhos. Eu, pela minha parte, sou homem, já com cinquenta anos e também não brinco com bonecas. Mas, apesar disso, decidi deitar mãos à obra e fazer mais uma modificação na casinha de bonecas da minha filha Carminho e redecorar a sala de estar, em estilo Luís XVI.
As salas de jantar e de estar da casa de bonecas da Carminho
Para os menos conhecedores de história, Luís XVI foi rei de França entre 1774-1791 e durante o seu reinado desenvolveu-se um estilo na arquitectura e sobretudo nas artes decorativas, que tomou o seu nome.É um estilo inspirado na Grécia e em Roma, com linhas direitas, mas muito ligeiro, feminino mesmo, destinado sobretudo a seduzir.

Para revestir as paredes usei um papel de parede comprado no Hospital das bonecas, que reproduz as antigas boiseries francesas. As boiseries são apainelados em madeira, que se tornaram um elemento muito característico da decoração de interiores em França, nos séculos XVII e XVIII. As mais mais antigas eram deixadas da cor original da madeira, mas posteriormente passaram a ser pintadas apresentando-se os frisos em dourado. Em Portugal, podemos admirar um desses apainelados franceses no Museu Nacional de Arte Antiga, a célebre sala doada pelo milionário Atenor Patiño, muito embora seja ao estilo do reinado anterior, de Luís XV. 
Representação gráfica da Sala Atenor Patiño no Museu Nacional de Arte Antiga
Em França, claro, são inúmeros os exemplos de salas com boiseries. As mais célebre são as do Palácio de Versalhes, mas o Musée des Arts décoratifs, em Paris possui uns quantos destes salões, aliás, foi neste museu que fiquei irremediavelmente apaixonado por estas boiseries e na impossiblidade de montar um desses apainelados no meu apartamento, reproduzi um destes interiores na casa de bonecas da minha filha.
Boiserie Luís XVI no Palácio de Versalhes. Foto de http://godsandfoolishgrandeur.blogspot.pt
Montar esta boiserie na casinha de bonecas da minha filha ainda me deu trabalho. Passei a tarde de um dia de folga, a recortar as várias partes do papel, de forma a adaptar os vários painéis ao espaço. Usei cola UHU em em forma de batton

Também em estilo Luís XVI, o mobiliário foi comprado no Hospital das Bonecas, aqui em Lisboa. Pintei-o de dourado, estofei-o com o tecido de uma gravata de homem que comprei na loja dos chineses e coloquei-lhe um galão dourado. A chaminé comprei-a on-line numa conhecida casa de brinquedos em Inglaterra.

Tudo isto poderá parecer um trabalho inútil feito por um homem maduro para uma filha que já não brinca com bonecas. Mas, quando a minha filha crescer e for morar sozinha, levará a casa de bonecas com elas, e creio, que cada vez que olhar para ela, se recordará desta prenda do seu pai e dos momentos agradáveis ou mais dolorosos que passou em minha casa. No fundo queremos ser sempre lembrados depois de mortos.
Uma boneca travessa derrubou o candelabro no salão Luís XVI

19 comentários:

  1. Luís, acabei de perder o comentário...
    Mas dizia eu que me espanta a sua habilidade e paciência para tanta minúcia. O resultado ficou um verdadeiro requinte em todos os pormenores!
    Há muita gente que se sente atraída por estes mundos em miniatura e conheço blogues quase exclusivamente dedicados a casas de bonecas. Mas o Luís, como sempre, não mdeixa de dar o enquadramento histórico e artístico a estes ambientes, o que torna a leitura bem mais interessante.
    E tenho a certeza que a sua filha Carminho vai adorar ter por perto esta bela obra saída das mãos do pai.
    Beijos e parabéns!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria Andrade

      É bem verdade. Esta casa de bonecas deu-me uma trabalheira doida, mas também um enorme gozo e julgo que para a minha filha há-de ser sempre um brinquedo especial, único até, porque foi toda decorada de forma personalizada. Na época em que a comprei, naveguei horas a fio nos sites especializados na venda de produtos de casas de bonecas e fiquei fascinado com este mundo em miniatura, muitas vezes brinquedo de gente adulta.

      A casa de bonecas traduz até certa forma os meus gostos em arte. Tem azulejos portugueses, interiores vitorianos e agora um salão francês. No fundo, é uma continuação do mundo das Velharias do Luís e por isso tem também um enquadramento histórico.

      bjos

      Eliminar
  2. Caro Luís,

    Um show!!!
    Abençoado bom gosto, refinamento, dedicação, paciência e minúcia!
    Tenho a certeza que a Carminho, apesar de já ter começado a usar lápis nos olhos, ainda olha para essa casa de bonecas com muito carinho. Primeiro porque com ela brincou, e segundo porque esse é um brinquedo que ela não encontra com facilidade na casa das amiguinhas.
    Quando um dia for adulta e tiver a sua própria casa, essa casinha irá com ela,porque a há-de querer passar a uma possível filhota que venha a ter!
    Quanto a mim,e no que a esse assunto diz respeito, já tenho passado horas a fio em sites ingleses que se dedicam à venda dessas casinhas e seus acessórios...mas,infelizmente, não tenho filha, ou filho,que me possam dar netos,e dessa forma ter uma desculpa para, com os mesmos 50 anos do Luís, começar a construir algo semelhante ...

    Um abraço amigo,

    Alexandra Roldão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alexandra

      A maioria do público do Hospital das Bonecas, essa loja única em Lisboa, é gente adulta, que compra prendas para os seus filhos, com as quais gostaria de ainda brincar (nunca deixamos de ser crianças).

      Há uns tempos, estava na loja do Hospital das Bonecas uma senhora com um ar muito fino, já de idade avançada, que adquiriu uma boneca para a neta, levantou duas bonecas antigas que estavam para restauro e ainda comprou dois vestidos de seda para as ditas bonecas antigas. Pagou em cheque e a conta eram umas largas centenas de euros. Como os outros clientes estavam boquiabertos, a Senhora explicou sorridente, que a boneca nova era para a neta, mas as antigas eram os prendas para a avó, isto é, brinquedos para ela própria.

      Como vê, tem legitimidade moral para comprar a sua casa de bonecas e divertir-se à grande a mobila-la no mais sobrecarregado estilo vitoriano ou a montar um jardim de Inverno num dos aposentos.

      Bjos

      Eliminar
  3. Que maravilha e que paciência! Ando a estudar mobiliário do século XX e o Arquitecto Luís Benavente mobilou muitos espaços ao estilo Luís XVI. É engraçado ver esse mobiliário reproduzido em miniatura. Bom dia!

    ResponderEliminar
  4. Parabéns pelo seu bom trabalho, como bem atestam as fotos. Acho que teve uma ideia excelente e, por certo, sua filha, um dia ao olhar para essas pequenas maravilhas sentir-se-á muito orgulhosa e reconhecida do Pai. São estas acções e gestos que perduram por vezes muito mais do que bens materiais que nada traduzem senão um abrir, por vezes bem fácil, da carteira. Gostei!

    ResponderEliminar
  5. Para mim é uma maravilha!
    O bom gosto do Luís, o tempo de dedicação, só posso dizer:
    - a Carminho tem muita sorte.:)) A seu tempo ela irá dar grande valor.

    Dava alvíssaras por uma casa de bonecas assim.
    Um abraço.:))

    ResponderEliminar
  6. Será que o Luís pode colocar uma foto da casa completa?

    ResponderEliminar
  7. Margarida Elias

    O estilo Luís XVI nunca passou realmente de moda. No século XIX, a partir de Napoleão III, por influência da imperatriz Eugénia de Montijo, o estilo foi relançado e um pouco por todo o mundo, nas casas aristocráticas ou nos palácios de grandes burgueses, escolhia-se sempre esse estilo, para a sala da casa, que se queria mais formal, mais distinta ou chique. Essa voga perdurou pelo século XX fora e ainda hoje há milionários americanos a comprar interiores completos Luís XVI em França, para decorar apartamentos em Nova Iorque ou mansões em Los Angeles.

    Fiquei com curiosidade de conhecer a obra de Luís Benavente.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  8. Cara Belita

    Muito obrigado pelas palavras simpáticas. De facto, sempre procurei oferecer à minha filha prendas mais personalizadas, que não fossem aquelas coisas do supermercado, com as Barbies ou os Nenucos, até porque sabia que existiam outras pessoas a oferecer-lhe esse tipo de brinquedos, que ela também gostava.

    Esta casa de bonecas foi de facto montada, decorada e mobilada por mim e sei que é um brinquedo que marcou a minha filha. Ofereci-a no Natal e deitei-me nessa noite as três da manhã, para que ela mal acordasse pudesse logo começar a brincar com ela. E de facto, acordei no dia seguintei muito cedo com o varulho dela ela a brincar a casinha. Nem eu nem ela esqueceremos esses momentos.

    Claro, depois segui-se o trabalho de decoração e de mobilar a casa que ainda se prolonga pelos dias de hoje.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  9. Cara Ana

    Não sei se já contei isto no blogue. Mas a minha irmã, passou a meninice dela a desejar ter uma casa de bonecas, desejo esse que nunca conseguiu realizar. A ideia de oferecer uma casinha à minha filha partiu precisamente desse desejo frustado da minha irmã.

    Já publiquei uma foto geral da casa, mas com as portas fechadas em http://velhariasdoluis.blogspot.pt/2013/05/a-volta-de-casas-de-bonecas.html .

    Prometo publicar uma foto da casa aberta vendo-se todas as divisões, mas a coisa ainda dá algum trabalho, pois tenho que a deslocar e poisa-la num sítio com luz. Em todo o caso é uma casa pequena com três assoalhadas, uma cozinha e uma casa-de-banho.

    bjos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Luís.

      Fui ver. A casa iluminada é uma delícia.

      Deixo uma surpresa

      Eliminar
    2. Ana

      Adorei o livro em miniatura!!!!

      Acho que essa casa de bonecas foi das coisas que mais me impressionou no Palácio de Windsor.

      um abraço e um bom fim-de-semana

      Eliminar
  10. Que interessante o livro em miniatura que a Ana Indicou. Achei uma maravilha.
    Igualmente, também fiquei encantado quando vi a casa de bonecas da Rainha Maria, em Windsor.
    Fiquei logo com a vontade de criar eu próprio uma, com cópias de mobiliário e tudo, mas o tempo não estica e não dá para tudo. E nunca tive uma menina na minha família para quem esta construção servisse. Não se pode ter tudo.
    Mas adorei esta tua casa e a tua paciência para a ir mobilando, tu que não és uma pessoa se grande paciências.
    Creio que eu fui um dos que ficou fascinado por esta tua construção.
    Os meus parabéns, pois o papel que compraste está muito bem colocadoe vai muito bem com o conjunto.
    Quanto ao Hospital da Bonecas, tentei uma vez mandar restaurar duas bonecas alemãs, com a cabeça em porcelana, ainda do XIX, mas quando me pediram 800 euros desisti logo.
    Manel

    ResponderEliminar
  11. Manel

    De facto falta-me a tua paciência e o rigor com que fazes qualquer trabalho manual. Também vejo cada vez pior e nestes trabalhos de pormenor faço por vezes uns remates menos felizes. Esta divisão saiu-me bem porque já tinha experiência acumulada das outras intervenções que fiz na casa. Agora falta-me só decorar por dentro a porta da casa das bonecas. Ando com a ideia de fazer uma espécie de jardim de Inverno, mas não sei se terei habilidade suficiente para tal. Enfim, também tenho muito tempo para pensar e trabalhar, até ao casamento da minha filha. Lol

    ResponderEliminar
  12. Prezado Sr.Luis Y.

    Saudações.

    Suponho que "Carminho" seja "Maria do Carmo", "Carmen" ou algo assim.
    Nome mais doce não poderiam ter escolhido. Sei que sabe seu significado: "Vinhas de Deus", mas é bom relembrar o que é belo e agradável...

    Luis, que legal que você teve este carinho e tempo para sua filha. Quanto à casinha, acho que nunca vi uma destas. No máximo, umas caminhas de bonecas de minhas irmãs.
    Achei interessante e até surpreendente. Se tivesse este talento e paciência para os pormenores, empregaria para ornamentar meus Meninos Baianos (de Convento) e Portugueses.
    Tenho alguns mas nenhum completinho. O que era mais completo tinha uma grande e antiga redoma que se quebrou toda numa mudança. Uma pena. Nunca mais encontrei uma igual, pelo menos com preço que se possa pagar. Pensava em cobri-lo de coraçãozinhos; cheguei a comparar tudo que podia em prata, pedras boas, madrepérola... ouro bem pouquinho, né? Mas com o acidente tive que protelar esse mimo...

    Penso que você tem algo de relojoeiro.. Já viu o filme "A Invenção de Hugo Cabret" ? Eu adorei.

    Um abraço para você, outro para a Carminho e outros tantos para pessoas de seu bem querer.

    Ainda não fui ao link de indicou (SACAVEM). Irei com calma e gosto se o Bom Deus quiser.Obrigado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amarildo

      De facto, Carminho é o diminutivo de Maria do Carmo, o nome da minha filha mais nova.

      Se um dia vier a Portugal poderá aproveitar para comprar uma redoma de vidro. Vendem-se no Depósito da Marinha Grande aqui em Lisboa e algumas casas de molduras também as tem à venda. Também as acho um encanto, mas não tenho nenhuma peça que justifique essa compra.

      Os salões da casinha que aqui vê foram decorados ao estilo inglês e francês, mas a cozinha foi feita com papel a imitar azulejos portugueses, conforme poderá ver em http://velhariasdoluis.blogspot.pt/2009/10/mais-azulejos-de-padrao.html.

      O mundo destes brinquedos antigos, não os dos que se vendem nos supermercados, é fascinante e sentimo-nos sempre personagens de ficção quando entramos nele, pois podemos montar e recriar um universo de acordo com a nossa imaginação.

      Um abraço

      Eliminar
  13. Que bonita que ficou a casinha de bonecas da sua filha. Certamente que a irá valorizar para sempre, variando de intensidade conforme a idade :) Somos assim, o ser humano.A importância que atribuímos às coisas oscila conforme o período da vida que vivemos.
    Beijos e parabéns pelo bom gosto de todo o trabalho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria Paula

      Muito obrigado. De facto, montar e decorar uma casa de bonecas é um investimento a longo prazo. É qualquer coisa que se pretende transmitir em herança. Mesmo que não tenhamos herdeiros, decorar um brinquedo destes envolve muito tempo e paciência.

      Bjos

      Eliminar