sábado, 24 de dezembro de 2011

Pia de água-benta atribuída a Viana ou votos de boas festas


Bem, nesta altura do ano, as caixas de correio electrónico estão atafulhadas de postais de boas festas, com pais natais a dançarem quizomba, pinheiros de natal a piscar com muita luzinha e muitas outras coisas do mesmo calibre. Para evitar essa poluição nas vossas caixas do correio e para desejar as boas festas aos seguidores deste blog, mostro-vos hoje a jóia da coroa das minhas faianças, uma pia de água-benta atribuída a Viana, provavelmente fabricada nas últimas décadas do século XVIII.

A cruz e os instrumentos da Paixão de Cristo

Demorei algum tempo a identificar esta pia de água-benta. Houve muitas fábricas de faiança na segunda metade do século XIX e no início do XIX a manufacturarem pias muito semelhantes a esta, como por exemplo Miragaia, no Porto.

Pia de água-benta miragaia do Museu Nacional de Soares dos Reis

Num catálogo de uma leiloeira, vi uma exactamente igual a minha, atribuída ao Rato, mas infelizmente perdi o rasto da publicação e não me lembro do número ou data. A Bica do Sapato e o Juncal também fizeram pias idênticas a esta.


Pia de água-benta da fábrica da Bica do Sapato. Museu Nacional de Arqueologia

Enfim, estas pias seriam peças que as fábricas faziam sair com grande êxito, nos finais do século XVIII, princípios do XIX, para satisfazer uma sociedade profundamente religiosa, que usava estes objectos em casa, colocando-os em pequenos oratórios ou maquinetas para as suas devoções domésticas. Aliás esta pia tanto foi usada, tirada e posta da parede, para ser enchida com água benta da Igreja, que acabou por cair e estilhaçar-se em dezenas de pedaços. Foi posteriormente toda colada usando um papel por detrás para dar solidez ao trabalho, mas que tapou a marca, se é que existiu alguma vez.
Um detalhe da decoração da minha pia

A decoração desta pia, é do tipo ruanesco, que foi um motivo usado por todas as fábricas de faiança desta época sem excepção. Portanto, não seria pela decoração que eu conseguiria identificar a minha peça.

Estampa 7 da Exposição de cerâmica das fábricas do distrito: duzentos anos de labor artístico. – Câmara Municipal de Viana do Castelo, 1970

Acabei por identifica-la por mero acaso, ao folhear o catálogo Exposição de cerâmica das fábricas do distrito: duzentos anos de labor artístico. – Câmara Municipal de Viana do Castelo, 1970. Na estampa sete, no conjunto de uma série de pias de água benta lá estava uma igualzinha á minha, atribuída a célebre Fábrica de Darque. A acreditar nesse livrinho, esta pia teria sido executada no 1º Período de laboração de Viana, 1774-1790/95, em que as peças apresentam uma grande influência da Louça de Ruão.



Desejo-vos boas festas, salpicando-vos com a água-benta desta pia da fábrica de Viana.

22 comentários:

  1. Caro Luís
    Cá está ela em todo o seu esplendor! Já a tinha visto num post que o Luís dedicou a outra peça ( não recordo qual), e já aí, mesmo sendo figura secundária, se destacava. Muito obrigada por nos mostrar esta preciosidade.
    Abraços e um bom Natal.
    Maria Paula

    ResponderEliminar
  2. Olá Luís
    Lindíssima a sua pia de agua benta. Para além da delicadeza suave da decoração, do fim a que se destinava e do modo diferente de nos desejar Feliz Natal, ainda a tornam mais especial.
    Abraços e votos de Boas Festas.
    if.

    ResponderEliminar
  3. Maria Paula

    A Pia estava reservada para uma ocasião especial, como aquelas garrafas de Vinho do Porto, que se conservam para dar as pessoas que nos são gratas.

    Abraços e bom Natal para si e os seus

    ResponderEliminar
  4. Cara If

    Nada como oferecer aos seguidores do meu blog a imagem de uma boa peça de faiança portuguesa.

    Abraços

    ResponderEliminar
  5. Boas Festas, Luís! E que 2012 seja melhor do que o ano que termina (refiro-me aquilo que não dominamos, os post sei que estão sempre melhores!). Bjs,
    Luísa

    ResponderEliminar
  6. Luís,
    Acho que foi uma ótima ideia reservar esta pia de água benta da nossa melhor faiança para acompanhar os seus votos de Boas Festas a todos nós… que nos deliciamos com os seus posts.
    As pias de água benta, a par dos galheteiros (!), são das peças de faiança antiga que mais me atraem, pela forma, pela pequenez… e esta com a cor em vinoso de manganés, as folhas de palmeira e a tal decoração ruanesca é realmente muito graciosa.
    Também adorei ver todas as outras e realmente foi uma sorte ter encontrado uma igualzinha à sua naquele catálogo. Bem, não é só sorte, significa que o Luís faz muita pesquisa, folheia livros e catálogos e por vezes encontra o que lhe interessa particularmente.
    Peço desculpa de mandar mais um palpite, mas acho que facilmente conseguiria remover as manchas amarelas que me parecem ser de restos de cola. Limpando suavemente com um cotonete molhado em água muito quente penso que sairiam. Mas isto é apenas a minha opinião de leiga, é o que eu faria se a pia fosse minha… infelizmente não é... :(
    Beijos

    ResponderEliminar
  7. Olá Luís,
    Agradeço os salpicos da sua bela pia de água-
    -benta, e que continue em 2012, tal como uma cornucópia,a abundar-nos com os seus maravilhosos posts.
    Um grande abraço
    Jmalvar

    ResponderEliminar
  8. Olá Luís,

    Cheguei com atraso ! O portátil pifou e lá fui obrigado quebrar a contenção económica e comprar outro.

    Cheguei tarde, mas a tempo de desejar uma excelente entrada em 2012 / Que continue a ter este pensamento iluminado e esta forma primorosoa de escrever estes posts.

    Um abraço / Felicidades /

    José Oliveira

    ResponderEliminar
  9. Luis,as pingas da sua beçao chegaram até meu lar em Montevideo,magia do Natal,nao acha?
    A pia é uma beleza, e tem o carater que lhe dao as feridas do tempo.Obrigado pelo seu trabalho no blog e pelos conhecimentos que compartilha com nossco.
    Bom FINAL DE ANO E UM PRÓSPERO 2012!!!!!
    Carlos Fernández.

    ResponderEliminar
  10. Caro Luis,
    sou brasileira de Porto Alegre, sul do Brasil, e de origem portuguesa!
    Descobri agora seu Blog e estou encantada! Foi um grande presente de Natal que me deste e daquí para frente espero sempre poder ver coisas lindas como tua pia.
    Obrigada por esta oportunidade e um Feliz 2012!
    Flora Souza

    ResponderEliminar
  11. Belíssimas estas pias de água-benta.Espero que no próximo ano nos continue a brindar com , as já habituai, maravilhas .
    Quero e hoje à moda da minha Beira desejar-lhe ,a si e aos seus um ANO BOM
    Quina

    ResponderEliminar
  12. Acabei de chegar das mini ferias do Natal. O mesmo que dizer que não tenho net na província.

    Amei a pia de água benta.De vez em quando vi-a na parede da sala e andava expetante, confesso. O Luís como sempre surpreende-nos, guardando-a para a mostrar numa ocasião especial.
    Peça invejável,a cor nem se fala rivaliza com o azul que também aprecio.
    O meu natal foi banalíssimo e maravilhoso ao mesmo tempo passado pela 1ª vez na casa rural.Usei um cabaz de verga branca para esconder as prendas...achei tão pitoresco. Fartei-me de comer e beber. Amanhã começo a dieta!!!

    Bom ano
    Bjs
    Isabel

    ResponderEliminar
  13. Finalmente lá saiu a pia!
    Uma peça que ultrapassa qualquer das que conheço.
    Não sendo fanático por este tipo de peças, não há como ficar indiferente a esta, primeiro pela conceção e depois, pela beleza da decoração e um domínio cromático exímio.
    Parabéns
    Manel

    ResponderEliminar
  14. Cara Lu

    Bem sei que nunca nos vemos e por culpa minha que sou um calão para ligar as pessoas. Ainda bem que este blog existe para podermos continuar este contacto. Bjos e um bom ano também para ti

    ResponderEliminar
  15. Maria Andrade

    Obrigado pela sugestão da cotonete. Julgo que vou fazer a experiência primeiro numa terrina da Vista Alegre, que também apresenta vestigíos demasiado evidentes de uma colagem antiga e depois se a coisa correr bem, aventuro-me nesta pia.

    obrigado

    ResponderEliminar
  16. Caro joaquim

    Andou ausente destas lides virtuais. Recordei-me de si pois noutro dia vi num catálogo de um leilão um prato semelhante a um que fotografei na sua casa, mas marcado. Vou ver se consigo uma cópia e lhe a envio por mail.

    Abraços para si e a sua mulher

    ResponderEliminar
  17. José Oliveira

    Já tinha notado que tinha acontecido qualquer coisa ao teu PC ou a ti. um grande abraço e obrigado

    ResponderEliminar
  18. Carlos Fernandez

    Ter um seguidor no Uruguai deixa-me tão orgulhoso e contente, que nem calcula. Quando comecei o blog nunca imaginei sequer que tivesse seguidores quanto mais para lá dos limites de Lisboa.

    Abraços

    ResponderEliminar
  19. Cara Flora Souza

    Como dizia ao nosso amigo do Uruguai, fico satisfeitissimo com o pequeno intercâmbio de ideia e conhecimentos que neste blog se consegue ter com os seguidores do outro lado do atlântico. Aliás, desde que comecei o blog descobri um outro lado do Brasil, para lá do Samba e Carnaval, um país com gente interessada e culta e isso tem tem sido muito agradável.

    Abraços e volte sempre

    ResponderEliminar
  20. Muito obrigado Cara Quina.

    Prometo mais peças bonitas para fazer esquecer esta crise estúpida.

    Abraços

    ResponderEliminar
  21. Maria Isabel

    Tem razão, a Maria Isabel e a Maria Paula já tinham reparado na pia, que já apareceu por duas vezes neste blog, mas em segundo plano. Resplvi reserva-la para uma ocasião especial. Também até há pouco tempo não sabia nada sobre ela. Inclinava-me mais para Miragaia ou talvez Rato. Portanto não tinha matéria para fazer um post.

    Fico contente que o seu Natal tenha sido bom e desejo-lhe uma dieta cheia de rigor, coisa que com esta crise nem vai ser difícil...lol

    Bjos

    ResponderEliminar
  22. Maria Andrade

    O método da cotonette com água quente
    e um sucesso. Com o posterior auxílio de uma faquinha, tenho removido a cola toda que desfeava esta peça.

    obrigado

    ResponderEliminar