sábado, 30 de setembro de 2017

8 º Aniversário do “velharias do Luís”




O velharias do Luís faz hoje 8 anos e talvez por isso deva reflectir um pouco acerca das razões de escrever um blog dedicado ao pequeno coleccionismo, isto é, destinado aquelas pessoas que não tem dinheiro para comprar nos bons antiquários e nas grandes leiloeiras, mas gostam de coleccionar pagelas, gravuras, faianças do século XIX e XX, xícaras da Vista Alegre e outras bugigangas ao alcance de uma bolsa da classe média.

Há pouco tempo li um texto de Bruce Chatwin, publicado na obra Anatomia da Errância. Lisboa: Quetzal Editores, 2008, que é um elogio ao nomadismo, aos povos e as pessoas que vivem e transportam consigo os objectos estritamente essenciais. Segundo esse escritor o coleccionismo é uma actividade dos povos sedentários e sobretudo daqueles que se viram para dentro de si mesmos, se fecham nas suas casas e vivem para os objectos, já que receiam o mundo exterior e as emoções. As velhas pinturas, os selos, as gravuras, as faianças ou os paliteiros em prata comprados avidamente pelos coleccionadores substituem os afectos que poderiam conceder a outros seres humanos. O conteúdo deste texto pode parecer um pouco exagerado, mas o Bruce Chatwin conhecia bem o meio do coleccionismo, pois trabalhou durante muito anos numa das melhores leiloeiras de Londres e talvez até a sua descrição se possa aplicar a mim. Viajo pouco. Encho a casa de velharias e antiguidades quase até à loucura, praticamente não recebo ninguém e possivelmente todas estas gravuras do século XVIII, fotografias antigas, terrinas e móveis, carregados de histórias antigas, substituem as emoções e o calor que um grupo de amigos ou amantes me poderiam proporcionar. Provavelmente para contrariar essa tendência que todo o coleccionador tem para se fechar sobre si, escrevo regularmente um blog, para partilhar com uma comunidade de desconhecidos, aquilo que compro ou herdei e os estudos que faço acerca dos objectos antigos. É como se semanalmente abrisse a porta da minha casa e convidasse muita gente, para conhecerem as velharias que se amontoam pelo chão, pelas paredes e nos móveis e lhes contasse detalhadamente a história de cada uma delas.
 
 
 
Aos seguidores do “velharias do luís” no blog ou facebook, de Portugal, do Brasil, ou em outro canto qualquer do ciberespaço, agradeço a visita, que semanalmente fazem a minha casa.

27 comentários:

  1. Viagem à volta do quarto, como o Xavier. Todas as viagens são necessárias, e às vezes vai-se mais longe numa pintura de uma paisagem do que na própria paisagem. A representação pode ser mais impressionante que a coisa real.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro9 Luís Filipe Gomes

      Muito obrigado pelo comentário. Realmente este blog é um pouco uma Voyage autour de ma chambre. Cada objecto, cada fotografia é um pretexto para viajar no tempo e no espaço, contar uma história ou fazer uma reflexão e sair dos limites deste apartamento de uma assoalhada e meia.

      Um abraço

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Humberto.

      Muito obrigado. Este blog tem contado sempre com a tua boa colaboração e o teu espírito de detective para as coisas do passado.

      Um grande abraço

      Eliminar
  3. Parabéns Luís e obrigada pelos convites tão regulares! Bjs, Luísa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Luísa Luz

      Muito obrigado!

      É um prazer receber neste blog a visita de leitoras tão atentas como tu.

      Bjos, Luís

      Eliminar
  4. Parabéns pela data, Luís, e por todas as postagens maravilhosas que compartilha conosco.
    Um abraço enorme e saudoso de quem já teve o privilégio de ver muito disso tudo ao vivo, e acima de tudo, desfrutar da sua companhia, simpatia, cultura e inteligência!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fábio

      Fico muito agradecido pelo teu comentário. Este blog serviu-me também para arranjar amigos nos mais diversos pontos do País e do outro lado do Atlântico, como foi o teu caso. Aliás, uma boa parte dos visitantes da minha casa e deste blog estão no Brasil. As estatísticas não mentem.

      Um grande abraço de Lisboa

      Eliminar
  5. Caro Luís
    Muitos parabéns pelo oitavo aniversário do seu blog que eu encontrei já lá vão alguns anos e do qual sou fiel seguidora. Impossível não o ser! A par da sua escrita de cujo estilo tanto gosto, os temas variados, a informação rigorosa e o cuidado na seleção das peças que nos mostra,dita que assim seja.Enquanto enchemos as nossas casas com os coisas de que gostamos, talvez estejamos a contar a nossa história Quem sabe! Beijinhos e continue.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria Paula

      Muito obrigado. A Maria Paula faz sem dúvida parte dos seguidores históricos deste blog.

      Tem toda a razão. As coisas que escolhemos para as nossas casas contam o nosso passado, a nossa forma de estar no presente. Escrever um blog a propósito disto tudo tem o objectivo de comunicar. As conversas com os amigos ou familiares são insuficientes para transmitir tudo aquilo que sentimos ou pensamos. Escrever permite uma reflexão mais aprofundada, uma comunicação mais completa e rigorosa, e no fundo aqui no blog estou a contar o que talvez haja de mais profundo na minha vida, as minhas inquietações e os meus gostos.

      Bjos

      Eliminar
  6. Luís
    Muitos parabéns pelo seu blog, que tanto contribui, sempre com excelência, para esclarecer e problematizar questões que tanto nos interessam.
    Que continue por muito mais tempo.

    Um abraço
    If

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ivete

      Muito obrigado. O aniversário do blog serviu para expor a visão do Bruce Chatwin sobre o colecionismo, na obra Anatomia da Errância, cuja leitura me perturbou. Não é uma visão muito simpática sobre os colecionadores, mas não deixa de ser um ponto de vista a considerar. Aliás o Bruce Chatwin volta a escrever sobre colecionismo no admirável romance Utz, sobre um homem que coleciona figurinhas de Meissen, num apartamento minúsculo em Praga, no período comunista. Se a colecção destes bonequinhos de porcelana lhe permite esquecer o mundo cinzento e frio do comunismo, ao mesmo tempo torna-se refém dela.

      Um abraço e muito obrigado pelas suas felicitações

      Eliminar
  7. Não é fácil manter um blog durante tanto tempo. Nada fácil! E tenho reparado quão difícil tem sido para a maioria dos blogs que ia seguindo.
    Estás de parabéns e espero que te sobre alento para mais.
    Tens-me aqui como testemunha e comentador e tem sido sempre uma experiência agradável.
    Muita gente já foi passando por este blog alguns restaram fiéis, e continuam a comentar-te, outros, ainda que igualmente fiéis, passaram a ler-te na intimidade das suas vidas, como ainda há pouco me comentava o Joaquim Malvar.
    O teu rigor, ecletismo e post cuidados, com uma linguagem acessível e dirigida ao grande público levaram a que tenhas merecido esta fidelização
    Manel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Manel

      Este blog quase que poderia ser o velharias do Luís e do Manel, tantas peças eu mostro aqui que são tuas. Muitos dos conteúdos aqui expostos são o resultado de conversas que vamos tendo sobre faiança, mobiliário, gravuras e arte. Os teus comentários tornam o blog muito mais interessante, pois agarras num fio da narrativa e leva-la para outro ponto qualquer, acrescentado novas leituras ou perspectivas.

      Muito brigado e um abraço

      Eliminar
  8. Respostas
    1. Ricardo Figueiredo

      Muito obrigado pelos seus parabéns. Um grande abraço

      Luís

      Eliminar
  9. Caro Luis

    Todos os dias são festivos, todos os dias podemos comemorar os feitos, o estar, as complexidades da nossa existência numa vida que nos escolheu.
    O seu blog me recorda a montra de uma velha loja de curiosidades na rua onde morava em que na minha figura miuda pairava, antes de ir para a escola. Olhava e todos os dias reparava numa peça misteriosa exposta num monte de diversidades antigas, onde pacificamente se deitava um gato.Havia sempre algo entregue ao meu imaginário naquela montra...o seu blog é essa montra...onde se pode encontrar algo que nos enriquece, pois, em cada objecto...o seu suporte histórico como adorno bem cinzelado.
    Abraço
    Vitor Pires

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Vítor
      Achei a que a comparação entre o meu blog e uma loja de curiosidades foi muito feliz. Também eu me encanto com essas lojas onde tanto se podem descobrir ferragachos, de que desconhece a utilidade, como pedras falsas ou um corte de um cetim antigo.

      Um grande abraço

      Eliminar
  10. Olá,Luis
    Mais um ano do velharias
    Muitos parabêns,não tenho comentado,mas ando por aqui de vez em quando,não tanto como queria,mas continuo fiel ao velharias
    Como não ,se afinal para mim tanto o Luis como o Manel se tornaram-pessoas queridas
    Pois foi graças ao velharias e ao Luis e ao Manelque aprendi a valorizar todas as antiguidades que agora tenho cá pela minha casa...
    Coisas do coração,não é verdade?
    Espero que continue por muitos e longos anos
    Continuarei por aqui,muitas vezes sem comentar
    Mas sempre atenta ao velharias do luis...e do seu famoso e muito valioso comentador,Manel
    Beijinhos aos dois
    grace

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grace

      Já sentíamos a sua falta. Bem sei que embora comente pouco, a Grace é uma seguidora atenta do meu blog, daquelas pessoas que semanalmente visita a minha casa e estou-lhe muito grato por isso.

      Bjos

      Eliminar
  11. Muitos parabéns, Luís! Que texto lindo e bem escrito a propósito do aniversário deste seu blogue de excelência! Admiro o entusiasmo com que continua sempre a apresentar belos objetos, discorrendo adequadamente sobre eles e sinceramente tenho pena que essa chama me tenha abandonado... Oxalá assim continue, caro amigo. Um grande abraço para si, não esquecendo o Manel e os restantes membros do nosso núcleo duro de comentadores e amigos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria Andrade

      Muito obrigado e fico sempre feliz de a ver por aqui e continuo a afirmar, que o seu blog faz falta. Para mim era um estimulo e muitas vezes pegava em pontas soltas dos seus post e continuava-os aqui e julgo que a Maria Clara fazia o mesmo. Além de que continuo a consultar o seu blog. Quando apresentei o prato Companhia das Índias fui vasculhar o seu blog, não fosse ele ser inglês...

      O texto que aqui escrevi teve como mote A anatomia da errância do Bruce Chatwin, um escritor que conhecia o colecionismo por dentro pois trabalhou na Sotheby's. Escreveu também um romance muito bonito sobre um colecionador de figurinhas de Meissen, durante o período comunista da Checoslováquia, que só ainda não serviu de inspiração para nenhum texto do velharias, porque não tenho posses para pagar uma fortuna por uma dessas peças de porcelana alemã.

      bjos e mais uma vez obrigado

      Eliminar
  12. Agradeço muito os simpáticos comentários da Grace e da Maria Andrade, que retribuo. Sempre pessoas especiais.
    E continuo a sentir-me orfão pela falta que o blog da Maria Andrade me faz.
    Beijinho a ambas
    Manel

    ResponderEliminar
  13. Amo o Velharias! Mais 8 anos, Luís!
    Parabéns!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jorge

      Muito obrigado.

      Tem sido um prazer conviver aqui com alguém que está do outro lado do mar e com que se partilham tantos gostos.

      Um abraço

      Eliminar
  14. Vida longa ao 'velhariasdoluis'! E porque não se fechar em casa para apreciar o que se mais gosta e compartilhar de maneira confortável toda uma pesquisa? Aqui se tem estudos e registros de um modo apaixonado e interessante de viver. Muito bem! Um delicioso e variado material para apreciar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria Gloria

      Obrigado pelo seu comentário. O blog velharias do Luís é uma forma muito pessoal, que encontrei de partilhar os meus interesses sobre arte, história e a vida com uma comunidade alargada de pessoas, o que é um pouco contraditório já que tenho uma certa tendência a ser um homem insular.

      Bjos e mais uma obrigado

      Eliminar