quarta-feira, 23 de março de 2011

Pequeno bule oferecido por uma amiga que não tem netas

Talvez por não ter netas, ou mais certamente porque tem uma natureza generosa, a irmã do Manel deu à minha filha um conjunto de pequenas loiças, restos de antigos serviços de bonecas. Entre as várias peças, estava este pequeno bule, com uma marca usada pela Vista Alegre entre 1881 e 1921, que me pareceu absolutamente delicioso pelas suas dimensões reduzidas.


Na verdade, é uma versão que penso ser destinada às crianças, de um modelo que a Vista Alegre produziu durante dezenas de anos a fio, todos brancos como este, ou pintados com variadíssimas decorações. É mais uma peça que mostra o conservadorismo da produção da Vista Alegre.


No VII Leilão da Vista Alegre. Lisboa: Estar Editora, 1998 encontrei um bule idêntico a este, mas ainda com a tampa original e que à época se vendia por 10 a 15 contos!!! Enfim, estávamos em pleno período das vacas gordas, cheios de orgulho da Expo 98 e as antiguidades tinham preços inflacionados. Hoje, por cinco euros bem regateados, vendiam a peça. Mas, não é o preço que nos motiva a conservar estas peças, é a graça e o interesse artístico.


Quanto à minha filha, Carminho, retirei-lhe esta peça da caixinha onde guardou as outras louças. Mas quando crescer o bule ficará para ela.

14 comentários:

  1. Menina cheia de sorte, a sua filha!

    Quando eu era criança de cinco, seis anos,os serviços de chá faziam parte dos brinquedos das meninas. Tive alguns, e já nesse tempo exerciam sobre mim um grande fascínio.Também não desprezava os pequenos trens de cozinha em alumínio, que se vendiam nas feiras e romarias;as panelas, os escorredores, fervedores e cafeteiras deixavam-me deliciada :)

    Mas voltando ao bule da sua filha,ele é realmente muito elegante.
    Sabe que tenho um igual,comprado pelo preço que o Luís tão bem calculou? :)
    Nunca pensei nele como um brinquedo(talvez porque os meus serviços eram bem mais pequenos), mas antes, como uma peça de um serviço de chá, talvez para a água quente.Não sei...
    Na sequência de um post do Fábio sobre bules, comecei a alinhavar um, sobre os meus e não tinha este incluído, pois andava misturado com umas leiteiras :)Brevemente, mostro-os.
    Um abraço
    Maria Paula

    ResponderEliminar
  2. Tal como a Maria Paula, não me parece q este bule fosse de brinquedo, mas antes destinado a servir doses individuais de chá, para uso doméstico ou em estabelecimentos públicos.
    São peças deliciosas pela sua pequenez e delicadeza, já seculares, por isso fez bem em pô-lo a recato das brincadeiras da sua filha.
    Tenho um igual ao seu q deve ser do mesmo tamanho(150ml), sem marca,vindo da casa da minha avó paterna, mas entretanto encontrei outro ligeiramente maior (180ml), muito barato por ter o bico partido e com uma marca do séc. XIX (V.A a verde. Dão para encher uma chávena de chá não muito grande.
    Se reparar, os bules VA para as lamparinas ou "vieilleuses" também são bastante pequenos e o formato é muito parecido com este.
    Penso q os nossos avós ou bisavós eram muito mais comedidos do q nós nas doses de chá q bebiam, mesmo as chávenas eram geralmente mais pequenas, talvez porq o produto era ainda caro para os padrões de vida do séc. XIX e inícios do XX.
    Abraços

    ResponderEliminar
  3. Também há/havia lá por casa um bule para "vieulleuse", com a respectiva, mas é maior que este e com a base diferente.
    Este bule possuía chávenas, se bem me lembro, mas creio serem quase de brinquedo, e mais adaptadas a bonecas que a gente adulta!
    A minha irmã, que faz anos hoje, saberá dizê-lo melhor, pois as minhas memórias são algo difusas sobre estas peças.
    Mas o toque da peça é excepcinal, quase cristalino, o que sempre me fascinou.
    Manel

    ResponderEliminar
  4. Caros amigos

    Também coloquei perante mim mesmo a hipótese, que esta peça tenha sido uma leiteira de um serviço e que depois de a tampa se ter partido, os proprietários a tenham entregado a uma criança, a irmã do Manel para esta brincar com ele. Mas, o Manel lembra-se vagamente de chávenas também pequenas. De facto é uma peça muito pequena, tem 8 cm de altura. Talvez a irmã do Manel se lembre da proveniência desta peça

    ResponderEliminar
  5. Olá Luís
    O bule é uma peça delicada, por ser branca, pequena, mas sobretudo por ter sido oferecida pela irmã do Manel que tendo ontem feito anos, atrevo-me a usar o seu espaço para lhe endereçar" Parabéns".
    Sorte da sua filha Carminho ser a eleita para o receber.
    No imediato pelo tamanho fez-me pensar que talvez tivesse pertencido a um conjunto Tête à Tête,(bule pequeno com duas chávenas igualmente pequenas,conjunto romântico só para dois...)
    Também podia ter sido um bule tipo Samovar (russo) será françês "vieulleuse"?, há tempos vi na net um igual com uma peça de encaixe baixa para se pôr debaixo a lamparina como se fosse um Fonfue.
    A Vista Alegre tem na sua colecção uma peça em que o suporte é tipo uma torre de castelo encimada pelo bule, não me lembro o nome, só que o bule no caso tem um formato na base maior para encaixe no suporte e a ponta do bule é retorcida, comprei um numa feira por 2€, apesar de igualmente pequeno como o da Carminho.

    As imitações de serviços de chá e café para as crianças eram muito pequenos, tive alguns, de tal modo pequeninos, que eu e a minha irmã usavamos os da nossa mãe para fazer os batizados das bonecas...

    Adorei sobretudo o gesto da doação e o mesmo em o guardar com cuidados.
    Beijos
    Isabel

    ResponderEliminar
  6. Caros amigos

    Dei uma informação errada. O bule mede objectivamente 8 cm de altura, mas se tivesse a tampa, mediria 11 cm como aquele apresentado no catálogo da Vista Alegre.

    Aliás eu deveria sempre apresentar as medidas das peças que mostro aqui

    ResponderEliminar
  7. Ainda continuo na dúvida sobre este bule. Se fez parte de um conjunto de bonecas, se seria uma leiteira, um bule para servir doses individuais de chá num hotel ou se faria parte duma "vieulleuse".

    Um dos objectivos de colocar aqui as coisas no blog é tentar descobrir mais sobre as peças e muitas vezes passados uns dois ou três meses do post feito, aparece alguém que fornece a chave do mistério, ou descobrimos tudo por acaso, a folhear um catálogo.

    Beijos

    ResponderEliminar
  8. é verdade, este último post era destinado à Isabel, mas tive aqui um probleminha, que o seu nome não foi copiado para a caixinha dos comentários

    ResponderEliminar
  9. Ola Luis,

    como está?

    Ha já algum tempito que não passava por aqui, por isso decidi rever tudo.

    Lembro de ter postado este bule, e gravei-o na minha cabeça.

    Ontem fui á feira de antiguidade e vi um pequeno bule, vidrado de branco, numa banca que anunciava tudo a 1euro!

    E eu pensei... Espera... Eu já vi aquilo...


    Quando o peguei e vi que tinha a marca da VA, mas ainda pintada á mão, não mais a larguei, comprei mais uns tantos pratos da VA (22-47)
    e uma chávena com a cegonha VA...

    Fiquei com uma excitação incrível!! Perguntei ao senhor se não teria mais peças da VA, ao qual eu se prontificou a dar-me o seu contacto pois ele disse-me ter várias peças e queria muito despacha-las!

    Se não fosse o Luis tinha deixado passar o bule!!

    Obrigado

    Flávio Teixeira

    ResponderEliminar
  10. Caro Flávio

    Coleccionar peças da Vista Alegre é sempre uma boa opção. É a melhor e mais antiga das fábricas de porcelana portuguesa, as peças que produziu tem no geral qualidade e serão sempre objectos valorizados pelos portugueses.

    Abraços e boas compras

    ResponderEliminar
  11. Sr. Montalão

    =D

    Tem toda a razão Luis, o bule que comprei igual a este é do periodo 1870-1880, mas tem uma falha no bico.
    Um dia deste posto o bule e dedico-o a si!

    Flávio Teixeira

    ResponderEliminar
  12. Caro Flávio

    Por favor não me trate por senhor. Luís chega perfeitamente.

    Abraços

    ResponderEliminar
  13. Ok! Luis então.

    Tudo de bom.

    Flávio

    ResponderEliminar